Anuncie

América Latina ganha primeira pesquisa online sobre saúde sexual de HSH


A Rede Ibero-Americana de estudos HSH (homens que fazem sexo com homens) está lançando a primeira pesquisa comunitária online sobre saúde sexual entre HSH na América Latina, conhecido pela sigla em inglês LAMIS 2018 (Latin America MSM Internet Survey). O estudo busca levantar informações sobre o universo dos homens gays, bissexuais e outros homens (incluindo homens trans) que fazem sexo com homens. Para participar, é preciso ter 18 anos ou mais.

Em muitos países da América Latina, discriminação e falta de dados são fatores que influenciam a falta de políticas públicas e de saúde preparadas para atender as necessidades dos homens que fazem sexo com homens (HSH). “Além disso, na América Latina, algumas infecções sexualmente transmissíveis se apresentam em altas taxas nessa população, como o HIV”, explicam os organizadores do LAMIS 2018. “Apesar das disparidades entre os países, desde alguns com leis discriminatórias até outros com políticas inclusivas mais estabelecidas, é necessário que se tenha dados sobre diversos aspectos de saúde dessa população para que sejam elaborados projetos e políticas que impactem positivamente a vida dessas pessoas a partir de suas próprias necessidades reportadas.”

O estudo conta com a colaboração de instituições em 18 países da América Latina. No Brasil, a pesquisa tem parceria com a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) e atualmente conta com o apoio das seguintes instituições:

  • Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais do Ministério da Saúde
  • Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo
  • Programa de Educação Comunitária da Faculdade de Medicina da USP
  • UNAIDS
  • Hornet
  • e outras instituições que trabalham com população LGBT e também HIV/AIDS.

Esta é a versão latino-americana do EMIS (European MSM Internet Survey), uma pesquisa semelhante que ocorre nos países europeus desde 2010. Seu conteúdo inclui questões sobre discriminação, satisfação sexual, acesso à serviços de saúde, comportamento sexual, entre outros temas.

O LAMIS 2018 fornecerá uma imagem detalhada de problemas relativos à saúde sexual entre os HSH na América Latina. No Brasil, o estudo vai gerar dados para contribuir com a compreensão das necessidades dos programas de prevenção. No plano internacional, será possível comparar e ter conhecimento sobre padrões de políticas, programas, serviços e seu impacto na disseminação e controle da epidemia.

No Brasil, a Rede Ibero Americana de Estudos HSH é representada pela Dra. Maria Amelia Veras, professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Direitos Humanos e Saúde da População LGBT – NUDHES.

O UNAIDS, colaborador do Hornet, convida você a participar deste estudo e divulgar para suas redes de contatos. Clique aqui para participar.

09 fev 2018


Por Redação
Anuncie

Artigos Recentes

Segundo delegada, Matheusa foi “julgada” antes de ser morta por traficantes

Segundo delegada, Matheusa foi “julgada” antes de ser morta por traficantes

em LGBTFOBIA

A intolerância fez mais uma vítima na comunidade LGBT.

Principais empresas japonesas voltam seus olhos para os consumidores LGBT COMPARTILHE!

Principais empresas japonesas voltam seus olhos para os consumidores LGBT COMPARTILHE!

em Atitude

Os principais varejistas e fabricantes do Japão estão começando a prestar mais atenção em consumidores que se identificam como LGBT

Dois estados norte-americanos aprovam projetos-lei de adoção anti-L

Dois estados norte-americanos aprovam projetos-lei de adoção anti-L

em LGBTFOBIA

Os estados norte-americanos do Kansas e de Oklahoma aprovaram, entre quinta e sexta-feira, legislações que permitem às agências de adoção religiosas não entregar crianças a casais do mesmo sexo.

Grupo LGBT quer entrar com mandado de segurança contra reforma no Arouche

Grupo LGBT quer entrar com mandado de segurança contra reforma no Arouche

em Política

A intervenção foi aprovada nos órgãos de patrimônio municipal e estadual.

Anuncie